Em busca da peça perfeita

Há alguns anos, ouvi falar de uma psicóloga que costumava aconselhar raparigas de instituições sociais, sem dinheiro nem família, a comprarem roupa para acalmar as ansiedades. E eu pensava “como é que isso pode ser, se elas não têm dinheiro?”. Na altura soou estranho, muito embora concordasse que fazer compras provoca aquela sensação de alegria que nunca nos cansamos de experimentar, mas que é perigosa.

Sim, é perigosa porque vicia e acaba depressa. Assim, temos de repetir a experiência rapidamente, uma vez e outra vez e nunca mais acaba se, um dia, não ‘acordarmos’ para a realidade, percebendo que não é um modo de vida fiável.

Não é a mesma coisa do que quando andamos em busca da peça perfeita. Aqui, a busca parece interminável. Vemos, experimentamos, pensamos, olhamos no espelho de todos os ângulos e… ainda não foi desta. Alguém comentava que encontrar a peça perfeita é assim como quando encontramos o homem perfeito. Não confirmo nem desminto, mas vocês já formarão a vossa opinião.

Posso, contudo, confirmar, que quando encontrei o meu vestidinho preto, não voltei a precisar de procurar mais nenhum estilo, pois este assenta-me muito bem.

item

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s